Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://contra-sensual.blogs.sapo.pt

http://contra-sensual.blogs.sapo.pt

03
Set15

REFLEXÕES (IN)ÚTEIS SOBRE POESIA, POETAS E TRABALHO POÉTICO


Maria João Brito de Sousa

BrQsJXyIgAAS5nr.jpg

Toda a poesia que, largando os suportes "espaço" e "tempo", se afasta da descrição ou da narrativa e eleva a realidade à sua própria conceptualização para a tornar, dessa forma, mais abrangente e mais intemporal, sem perder minimamente o seu vínculo aos princípios éticos do poeta/escritor, exige uma muito maior reflexão, um muito mais extenso tempo de maturação e constrói um compromisso inamovível entre ele/ela, poeta, e essa mesma realidade depois de filtrada pelos tais nunca esquecidos princípios.

Para os poetas que trabalham a realidade a esse nível, a carga de energia que cada poema contém é obtida através da concentração e da reflexão. É evidente que não vou fazer citações pois nunca escondi que era uma poeta muito mais ligada à produção do que à teorização, que deixo para os que se sintam mais vocacionados para esse tipo de trabalho de pesquisa e para os que possam dispor de facilidades de acesso a fontes documentais de que eu não disponho neste momento da minha vida.

Não sou, também, uma boa comentadora. Nunca o serei. Raramente o são, ou foram, os poetas que produzem este tipo de poesia que, como todos os outros, está fortemente ligada às características, à educação e à vivência de cada um de nós.

A todos os eventuais leitores que pretendam encontrar, em toda a minha poesia, a descrição de alguma coisa ou uma história de apreensão imediata, lembro, mais uma vez, que cada poeta tem as suas próprias características e que a poesia é um vastíssimo universo de formas, estilos e conceitos estéticos.

Se é certo que me não seduz, mesmo nada, a ideia de "poesia pela poesia", não é menos certo que a realidade é passível de ser traduzida e trabalhada de formas muito menos óbvias do que as que devem ser - por imposição das suas próprias características - adoptadas numa notícia, numa sinopse, num recado, numa bula, num roteiro turístico ou num anúncio, seja o que for que ele anuncie.

Aprende-se a ler poesia, lendo-a e fazendo alguma análise comparativa e dedutiva. Mas não só.



Maria João Brito de Sousa - 03.09.2015



NOTA - Mais uma vez lembro que estas reflexões, sendo fruto de muitos anos de trabalho poético, não se dirigem a ninguém em particular e que as publico apenas por me parecer que podem ir ao encontro de quem pense e sinta de modo semelhante ou ao de quem nunca tenha tido a oportunidade de reflectir sobre este assunto e por ele se sinta interessado a ponto de o ler até ao fim.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

DADOS ESTATISTÍCOS SOBRE O DESEMPREGO

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

ADVERTÊNCIA

A maioria das imagens são retiradas da internet. Deixe um comment se não estiver de acordo.

UM BLOG EXPLOSIVO...

... só para "de vez em quando"...