Terça-feira, 14 de Setembro de 2010

ENREDOS

 

 

 

Reparei nela assim que entrou na sala de espera. Foi o som que primeiro me chamou a atenção, o estalar ritmado e seguro de saltos altos na cerâmica que cobria o chão. Ainda hoje, quando penso nisso, não consigo perceber como a ouvi chegar. O meu olhar colado à porta do consultório parecia ter monopolizado os outros sentidos e ouvir fosse o que fosse que viesse de outro ponto da sala, seria muito improvável. No entanto ouvi-a e o som tornou-se suficientemente intrigante para me fazer desviar olhos e atenção, rodar o tronco no sentido oposto e deixar-me afundar num arrepio de pânico quando confirmei a suspeita levantada, algures no meu cérebro, pelo familiar tic-toc dos passos da minha mãe. Estava ali, a alguns metros de mim, debruçada sobre o balcão de atendimento, interrogando com a sua proverbial segurança a empregada de serviço. Como me irritava e simultaneamente assustava aquela inabalável segurança de quem sabe exactamente o que faz e porque o faz!

Um suor frio cobriu-me o rosto e, por instantes, senti uma imensa urgência de fuga. Talvez conseguisse passar sem que ela me visse, chegar ao patamar, entrar no elevador e desaparecer de uma  vez por todas… mas não. Os olhos dela, serenos, severos, estavam já pousados sobre mim e ela percorria – tic-toc – os poucos passos que ainda nos separavam.

Parou exactamente à minha frente antes de me dar tempo de esboçar um gesto de fuga.

- Vem comigo até à varanda, Marta., solicitou ignorando a minha lividez e o tremor das minhas mãos que uma providencial revista anónima não conseguia disfarçar. De novo me assaltou a ideia de fuga, mas já a mão dela segurava a minha e o meu corpo obedecia automaticamente à sua esmagadora determinação.

Lá fora, a tarde arrefecia como se quisesse justificar o gelo que parecia ter tomado conta de mim e o trânsito, na rua, parecia tão caótico quanto as batidas do meu coração. Ela, severa, serena, segura – tão absurdamente segura! - acendia um cigarro sem esboçar um sorriso.

- E agora, Marta, vais dizer-me o que estás a fazer num consultório de ginecologia e obstetrícia, ou vais deixar que eu adivinhe?, atirou depois de soprar a primeira espiral de fumo branco.

- Como soubeste que eu estava aqui?

- Puro acaso, Marta… e não me agrada que tenha sido assim. Ia a sair da pastelaria quando te vi deste lado da rua. Chamei-te e não me ouviste. Pensei chamar-te de novo, mas tu já lias a placa junto à porta do consultório e resolvi não te dar a hipótese de mentires… mais uma vez.

 


Maria João Brito de Sousa

 


“Enredado”para http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/


 

NOTA - A peça inicial, sublinhada, é da inteira responsabilidade e autoria da Fábrica. O meu trabalho só se inicia a partir da última palavra em destaque.

sinto-me:
publicado por poetaporkedeusker às 16:48
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. CAFEZINHO? QUE CAFEZINHO?

. REDUTOR!

. "DIA DE VIVER O HOJE E SE...

. ELA(S)

. CONTOS DE FADAS...

. FELIZ NATAL 2015

. BOAS FESTAS!

. RESOLVENDO A EQUAÇÃO DO S...

. NA CASA

. EM CONVERSA...

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2017

. Setembro 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Maio 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

.tags

. todas as tags

.os postes mais apedrejados

. Pai

. À luz da lua

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

.links

.DADOS ESTATISTÍCOS SOBRE O DESEMPREGO

.ADVERTÊNCIA

A maioria das imagens são retiradas da internet. Deixe um comment se não estiver de acordo.

.UM BLOG EXPLOSIVO...

... só para "de vez em quando"...
blogs SAPO

.subscrever feeds